Deus morto ou Ressurreto?




Acreditar em um Deus morto?
Parece até que gostamos de vê-Lo reduzido à mais ínfima forma humana, humilhado e assassinado. É até justificável quando observamos a natureza malévola do homem e sua necessidade de alimentar-se do mal alheio. Em um Deus morto ninguém, talvez exista alguém que contrarie essa hipótese, acredita. No entanto, é elementar a encenação e a valorização da crucificação do Cristo. 
É muito valorizado assassinato de Cristo, mas devemos atentar para o fato que não é  na crucificação o maior êxito da passagem do Deus na terra, mas em  sua ressurreição e na consequente vitória sobre a morte. Deveríamos, contrariamente ao que acontece, celebrar e representar, de forma séria, essa vitória, que é a mais inestimável, durante a semana santa. Acreditar em um Deus ressurreto está muito além da simplória compreensão semanal anual. No entanto, precisamos fazer um esforço descomunal para deixar o modismo do culto à mortalidade e apreciar, em detalhes e eventos extensivos, a superação e ao amor desmedido do Ressurreto. 
Ao Deus morto, não acreditamos, pelo menos a maioria dos Cristãos, mas será a maior vitória  dos reles humanos, nós, quando deixarmos de lado as conveniências e os espetáculos para aceitar a ressurreição e todas os seus significados, inclusive os práticos. 
Pensemos então: Acreditamos mais no Deus morto pregado na cruz ou no Deus ressurreto?

Postagens mais visitadas