Índio


Índios amazônicos
Os dias correram para essa data quase desimportante, não fosse as particularidades que envolvem a figura do Índio na sociedade, que não podemos chamar de branca, no caso do Brasil. Reservar um dia para os índios deveria ser um ato pelo qual a cultura indigenista pudesse fortalecer-se em meio ao desenvolvimento tecnológico e ao avanço da civilização sobre os meios de vida dos Índios. Entretanto, o que ocorre é uma deturpação, inclusive pelos próprios, de toda funcionalidade deste dia, que ocorre pela onda generalizada de intocabilidade crítica sobre o povo indígena, de um modo geral. 
Quando colocamos os negros, pardos, indígenas e os pobres em um pedestal intocável em que todos esses são coitadinhos, vítimas de um espectro destruidor de toda forma de vida e cultura, não podem ser criticados por seus atos, mesmo que infames e anárquicos, então começamos a criar verdadeiros monstros que serão, e já começaram, capazes de aniquilar a forma mais simples de manifestação de pensamento.
É bom que entenda que os Índios, assim como os escravos, foram extirpados da sociedade atua, mesmo que alguns grupos ainda insistam em viver em malocas e no meio da mata. Isso pode ser verificado não pela inserção de métodos profiláticos de doenças regionais ou de qualquer tipo de assistência proporcionada pelo Estado, mas pelas maneiras, em determinados casos corruptivas, de lidarem com o bem natural que o Estado lhes protege por lei. Ainda existem raras comunidades realmente isoladas e, a essas, devemos nunca fazer nossa incontrolável interferência. Verdadeiros Índios!
Índio é ser humano como qualquer outro e, portanto, precisa arcar com as responsabilidades de seus atos, aceitar seus direitos e contribuir efetivamente para a vida orgânica de toda a sociedade. São uma parcela significativa da população brasileira e participaram de nossa história então precisam ser igualados a qualquer outro brasileiro, sem direitos exagerados ou regalias obtidas com desculpas histórica qualquer.
Para este dezenove de abril precisamos equipara indígenas à toda população brasileira, resgatar-lhes a cultura e seguir em frente! O que passou, passou. Agora é a época de guardar detalhes em museus para a posteridade  e criar uma consciência sem diminutas ilusões.

Postagens mais visitadas